arquivos para download

baixe aqui os ultimos arquivos enviados

Olá


TÍTULO

DESCRIÇÃO

EVENTO

GRUPO

Ir para pasta:

Vale a pena usar o cheque especial?

DATA: 10/09/18 Consumo

Entenda como funciona este serviço e saiba por que você deve fugir dele sempre que possível.

Final de mês sempre é um momento delicado. As contas chegam e você não sabe como deixar os pagamentos em dia? Parece que os preços aumentam cada vez mais enquanto o salário encolhe? Pois é, essa é a realidade de muitos brasileiros. O que acontece é que muitas pessoas acabam recorrendo ao cheque especial para poder solucionar seus problemas financeiros. Mas você sabe como ele realmente funciona?

Bom, o cheque especial nada mais é do que um empréstimo que o banco te faz, mas sem cobrar nenhuma garantia. Ou seja, se houver um nível de inadimplência alto, quem sai no prejuízo é o banco. Como forma de se proteger dessa situação, as instituições financeiras elevaram os juros do cheque especial lá para cima. Hoje, esse é segundo o tipo de empréstimo mais caro do país, perdendo apenas para o cartão de crédito.

O grande problema também está no fato de que as pessoas não têm conhecimento do quanto esse tipo de transação pode ser pesada para o bolso. E os bancos são espertos. Eles facilitam ao máximo as burocracias para você poder ter acesso a esse dinheiro.

O empréstimo é pré-aprovado, o valor depende do seu histórico financeiro, e fica ali disponível para você pegar quando precisar. O perigo mora exatamente nesse ponto. Por ser simples e prático, muitas pessoas acabam fazendo do cheque especial uma extensão da sua conta corrente, e a partir daí, a dívida se torna uma bola de neve. Sabe por quê?

Supondo que dona Maria tenha pego o cheque especial para poder pagar uma dívida de R$ 500. Se dona Maria demorar para pagar esse empréstimo por um ano, os juros crescem para R$ 2.408. Então, a dívida de dona Maria ficou mais do que quatro vezes maior do que era no início.

Uma nova lei foi implementada em julho a fim de ter maior transparência nesse processo. Uma mudança importante relacionada ao cheque especial é que se o correntista ultrapassar 15% do valor do limite do crédito disponível, o banco terá que entrar em contato com a pessoa e lhe oferecer uma linha de crédito mais barata. Além disso, o valor do crédito dado pela instituição financeira não deve aparecer em conjunto ao saldo do correntista, para que a pessoa não confunda o que é dinheiro dela e o que é do banco.

Como você pôde ver, o cheque especial não faz nada bem para saúde do seu bolso. O ideal é você procurar ter sempre uma aplicação reserva do seu dinheiro, que deve ser guardada mensalmente. Assim, se houver uma emergência, você estará preparado e não será um acumulador de dívidas sem fim.

Leia também: A importância da reserva de emergência para a saúde financeira do seu bolso